Pizza da mamãe

Uma das receitas mais carinhosas para mim e que remonta o cenário da casa dos meus pais na infância é a pizza de aniversário, aquela de massa fofa e gorducha. A minha avó, senhora que veio da região da Galícia morar no Brasil no final dos anos 50, sempre fez essa pizza com sardinhas. Minha mãe, observando a necessidade de adaptar essa tradição para o vegetarianismo, inventou uma versão maravilhosa com cogumelos castanho e shimeji.

Hoje, usamos no restaurante a receita dela. Nos primeiros meses, ela ainda vinha cozinhar conosco, pois demoramos um tempo para pegar o jeito, mas por ser extremamente fácil e rápido de fazer, com pouca bagunça e sem muita frescura, se tornou um dos pratos mais pedidos por aqui.

É muito importante alguns detalhes. A mistura dos dois tipos de cogumelos é essencial para o sabor final, eles cruzam de uma maneira incrível a cada mordida, e combinam perfeitamente com o molho de tomate caseiro. Minha mãe é muito rígida com o molho de tomates, inclusive ela já deu algumas broncas nos cozinheiros por não seguir à risca o seu modelo de preparação.

Aí vai.

Pizza da mamãe

1 kg de farinha de trigo

1 colher bem cheia de fermento biológico seco

1 colher de sal

1 colher de açúcar

1 litro e 75ml de água morna (não se atenha muito a esse detalhe da água, pois o segredo é perceber o estado da massa).

½ xícara de óleo

Misturar todos os ingredientes (secos/líquidos) com a colher (não usar as mãos). A massa deve ficar molenga e grudenta, mas não líquida, nem estável demais. Deixe descansar até dobrar de tamanho. Não fique em cima da massa, vá fazer outra coisa, pois é importante deixar ela um tempo crescendo (1h30/2h).

A massa não fica nem muito líquida, nem muito firme. Esse ponto é o que contribui para a fofura da massa.

Quando você transferir a massa para a forma untada, unte também suas mãos. Peça ajuda de uma segunda pessoa para segurar a tigela, enquanto vai posicionando ela na forma. Molhe suas mãos com um pouco de óleo para estabilizá-la na forma.

Nesse momento, seria interessante deixar essa massa crescer mais um tempo já na forma, mas isso é opcional. Se você não tiver muito tempo, já pode colocá-la no forno pré aquecido.

Deixe assar até que apareça rachaduras na massa.

Molho de cogumelos:

1,5 cebolas grandes bem picadas.

1 bandeja de cogumelos castanho e 1 bandeja de cogumelos shimeji cortados em lâminas.

– Refogue bem a cebola até dourar e coloque os cogumelos, não deixe eles murcharem muito. O ponto do cogumelo é quando ele apenas liberou um pouco de água, não deixe ele murchar. Adicione um pouco de shoyo nesse refogado, misture e desligue.

Molho de tomates caseiros:

3 dentes de alho bem picados

1 kg de tomates bem picados (é interessante misturar dois tipos de tomates e não deixá-los pedaçudos)

½ colher de sopa de açúcar.

1 colher de sopa rasa de sal.

Frite bem o alho em uma frigideira grande, não seja modesto com o óleo. Coloque os tomates, misture. Adicione o açúcar e o sal. Nunca coloque água. Nisso, irá começar a soltar o caldo. No fim, coloque ¼ de lata de extrato de tomate. O molho deverá estar grosso e não aguado (por isso o tomate deve estar bem picadinho).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A massa estando pronta, é só montar e apreciar. Fica uma delícia sem igual. Você pode fazer outros recheios como carne de jaca verde desfiada, molho de tomate e manjericão,  morango e azeite curtido na sálvia,  etc, etc.

Espero que goste!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *